O PEV apresentou esta sexta-feira as 12 linhas programáticas às eleições de Outubro, encabeçadas pelo combate às alterações climáticas e a melhoria dos transportes públicos.

Beatriz Goulart (E) e Tiago Aldeias (D) do Partido Os Verdes. Miguel A. Lopes / LUSA

«O voto ecologista é na CDU», lê-se no   documento do PEV, que concorre às eleições legislativas de Outubro integrado na Coligação Democrática Unitária (CDU), juntamente com o PCP, a Associação Intervenção Democrática e cidadãos independentes.

Com os compromissos eleitorais hoje apresentados, junto à Estação de Santa Apolónia, em Lisboa, «Os Verdes» assumem a prioridade à protecção da natureza e da biodiversidade, o reforço do Serviço Nacional de Saúde (SNS) e de todos os serviços públicos, sem esquecer a promoção e o desenvolvimento do interior do País e do mundo rural, bem como «a luta por mais e melhores transportes públicos, por uma pesca e agricultura sustentáveis».

«Agir pelo clima, melhorar os transportes públicos, produzir e consumir local, defender a Escola Pública, reforçar o SNS e promover a habitação para todos» são as primeiras linhas programáticas defendidas pelo PEV.

Desenvolver o Interior do País, travar a perda de biodiversidade e diversificar a floresta integram também o leque de propostas apresentadas hoje, a que se juntam a redução do uso de plásticos, lutar por direitos iguais e promover a paz.

No documento frisa-se que o percurso d’ «Os Verdes» e da CDU tem-se mantido de forma sólida e coerente em defesa dos interesses e desejos das populações», sendo o crescimento desta força política «essencial para a justiça social», enquanto «passo indispensável» para conquistar a justiça ambiental.

Com agência Lusa