“- Ando mal senhor doutor!
– Ai sim!
– Sonhos estranhos, sete noites seguidas. Sonho que me chamam corrupto!
– Corrupto?
– Sim e sou achincalhado na praça pública! Porquê estes sonhos, senhor doutor?
– Diga-me uma coisa. Tem visto as peças daquele Jornalismo de Investigação da TVI?
– Sim.
– Tem lido as da Visão e do Observador?
– Sim.
– Está aí a explicação.”

O Interpretador de sonhos

 

Nos alvores deste mês tive uma estranha semana, sete noites e sete sonhos, a mesma narrativa mas com personagens diferentes, a única que se repetia era eu. A história era basicamente esta: a CDU tinha conquistado a Câmara Municipal de Arouca em 2017 e eu era acusado, na praça pública, de compadrio, corrupção e vigarices várias.

Na primeira noite era por causa do meu tio Manel, que tem uma casa de pneus, e tinha vendido uns pneus recauchutados, para um velho Renault Clio, e feito um desconto … a um camarada meu dirigente regional do PCP.

Na segunda noite era o meu café da manhã, diariamente tomado no Café Amizade, em frente aos Paços do Concelho, um café cujo filho do proprietário namorava … com a minha filha.

Na terceira noite a razão era o arranjo das bicicletas turísticas, as Arouca Buga, (duas correntes e três afinações de travões no chuvoso mês de Abril), cujo concurso de manutenção tinha sido ganho pela oficina do Carlitos … que era meu camarada.

Na quarta noite o assunto era a cedência do Pavilhão Municipal para um jogo-treino de Voleibol entre o Centro Juvenil e o Feirense, sendo o Feirense treinado … pela minha esposa.

Na quinta noite era o facto da Câmara ter comprado material de escritório a uma empresa de mobiliário e decoração, a mesma empresa onde … o meu irmão e a minha cunhada são responsáveis de departamento … na Suíça.

Na sexta noite a matéria tinha a ver com o seguro dos funcionários da Câmara ser de uma seguradora, onde o meu tio Quim (militante do PCP), já reformado, … fora responsável de vendas do distrito de Aveiro.

Na sétima noite era o Presidente da Câmara ser comunista e ter desvios burgueses … andar por aí numa trail seis e meio, marca japonesa, em vez de uma Casal de duas.

Raio de comunas… e depois falam dos 20.000.000 de euros oferecidos à Banca.

 

Arouca, 28 de Fevereiro de 2019