A convite da Federação Nacional das Associações Juvenis (FNAJ), realizou-se, esta semana, uma reunião de trabalho entre a FNAJ e a candidatura autárquica da CDU Arouca, cuja delegação integrava: a mandatária, Deolinda Brandão, os cabeças de lista à Câmara e Assembleia Municipais, Francisco Gonçalves e António Óscar Brandão, e, ainda, Carlos Pinho e Tadeu Saavedra.

A reunião serviu para a vice-presidente da FNAJ, Cátia Camisão, apresentar o Manifesto Autárquico da federação, sublinhando as preocupações e anseios dos jovens e as propostas para a  melhoria da vida e da participação cívica juvenil. Este encontro possibilitou uma frutuosa troca de impressões, até pelo facto de todos os  elementos à volta da mesa terem crescido no associativismo juvenil e ainda hoje integrarem o movimento associativo.

Sobre os problemas da juventude, a candidatura da CDU Arouca agrupa-os em dois níveis, os de âmbito económico, que têm como consequência a (e)migração dos jovens arouquenses, e os relacionados com a reduzida participação cívica dos mais novos.

Para a abordagem dos primeiros mais do que políticas de voluntariado e de procura activa de emprego é necessário garantir apoio social escolar adequado, serviços públicos de proximidade e emprego com direitos não só em Arouca, mas na região envolvente. Relativamente ao alheamento cívico, é necessário estimular a participação cívica dos jovens no movimento associativo concelhio, na vida escolar, nos órgãos autárquicos, designadamente: garantindo a fruição cultural e desportiva a todas as crianças e jovens, independentemente da sua condição económica; democratizando o modelo de gestão escolar existente e a participação dos alunos; aprofundando as potencialidades de participação dos munícipes no poder local democrático, mais do que aguardar grandes efeitos pedagógicos de quiméricos Orçamentos Participativos.

 

Arouca, 8 de Setembro de 2017

A Candidatura da CDU Arouca