Etiquetas

A Direcção da Organização Regional de Aveiro (DORAV) reuniu-se a 21 de Abril, tendo analisado os eixos fundamentais da situação política e social, nacional e regional, e traçado linhas para o desenvolvimento da luta de massas e o reforço do PCP. Foram abordadas ainda as questões relativas à preparação das Eleições Autárquicas e feito balanço da X Assembleia da Organização Regional de Aveiro do PCP (AORAV).

1 – Tal como apontado pelo PCP no seu XX Congresso e reiterado na X AORAV, com grandes potencialidades de transformação no mundo, convivem grandes perigos para a humanidade. A atitude crescentemente beligerante e ostensiva dos EUA intensifica os conflitos e as tensões já existentes um pouco por todo o globo, como é evidente nos bombardeamentos da Síria e do Afeganistão e nas provocações à RPD Coreia. Neste quadro no limiar de uma situação explosiva, exige-se a reversão desta política, o respeito pela soberania de cada estado e o cumprimento do Direito Internacional e das resoluções da ONU como caminho único para o desanuviamento e o alcançar da paz.

2 – No plano nacional, a DORAV do PCP sublinha a importância da prossecução de uma política de recuperação de direitos e rendimentos que possibilite o aumento do poder de compra dos trabalhadores e do povo, designadamente por via do aumento dos salários e pensões, o descongelamento das carreiras da Administração Pública, o efectivo desbloqueamento da contratação colectiva e o combate à precariedade e ao desemprego. Neste quadro, a proposta de reforma sem penalização aos 60 anos para quem tenha 46 anos de descontos representa um tímido passo em frente, mas ainda muito aquém do que é justo, possível e necessário, o defendido pelo PCP: reforma sem penalizações aos 60 anos de idade, para quem tenha 40 anos de descontos.

3 – As opções do Governo PS no sector financeiro e bancário evidenciam o seu compromisso com os grandes grupos económicos que, a partir da União Europeia, impõem aos estados soberanos uma linha única de espoliação dos recursos de cada país. A venda do Novo Banco à Lone Star, em que mais uma vez o interesse público sai profundamente lesado, o encerramento de dezenas de balcões da Caixa Geral de Depósitos (4 dos quais no Distrito de Aveiro), e as peripécias em torno do Montepio, são elementos bem esclarecedores quanto à necessidade de uma ruptura com os constrangimentos que decorrem da obediência às regras da UE e à participação de Portugal no Euro, bem como à natureza privada da propriedade da Banca.

4 – A DORAV do PCP sublinha a importância da luta de massas para a elevação da qualidade de vida dos trabalhadores e do povo, tal como ainda recentemente ficou demonstrado na greve com êxito na Treves (Oliveira de Azeméis). Saudamos igualmente os trabalhadores da HuberTricot (SM Feira) pela sua greve e a população de Espinho pela sua acção em defesa da recuperação da Urgência, bem como a acção desenvolvida pela FENPROF no dia 18 de Abril e pela Administração Pública a 21 de Abril, ambas em Lisboa. O contexto actual evidencia de forma particularmente clara a necessidade de reafirmar os valores de Abril e a necessidade de resolver as grandes questões com que os trabalhadores se debatem, em geral e nas suas empresas e locais de trabalho. O PCP está profundamente empenhado no sucesso das comemorações populares do 25 de Abril e na realização de uma grande jornada de luta da CGTP no 1º de Maio, apelando a todos os democratas que se associem a estes importantes momentos da luta do povo português.

5 – Nas próximas semanas continuarão a ser anunciados os candidatos da CDU aos vários órgãos autárquicos dos concelhos do distrito de Aveiro. Este é um processo feito a par com a elaboração completa de listas, onde sob o lema “Trabalho, Honestidade, Competência” se associarão centenas de comunistas, ecologistas e democratas sem filiação partidária. Como sempre, a CDU prosseguirá a denúncia das consequências das políticas levada a cabo pelos executivos camarários PS, PSD e CDS, propondo alternativas que permitam elevar os padrões de vida dos trabalhadores e do povo, apoiar as estruturas associativas populares, promover a participação democrática, dinamizar a economia e proteger o ambiente. Em torno destas matérias, o PCP realizará a 6 de Maio um encontro distrital em Ovar.

6 – A DORAV do PCP considerou a X Assembleia de Organização Regional (AORAV) um importante êxito da vida partidária no Distrito. A elevada participação de delegados e convidados, a riqueza da discussão no processo preparatório e na própria Assembleia, e a unidade evidenciada ao longo dos trabalhos, constituem importantes aspectos de uma avaliação que transmite confiança no cumprimento das linhas traçadas e no reforço do PCP.

7 – Após a realização da X AORAV e de várias iniciativas de debate e convívio para assinalar o 96º Aniversário do PCP, em paralelo com as iniciativas da CDU prosseguirão três principais eixos de intervenção do PCP no distrito, a saber: o assinalar do 100º Aniversário da Revolução Socialista de Outubro, com uma exposição itinerante que estará patente em diferentes pontos do distrito; a concretização da campanha “Produção, Emprego, Soberania – Libertar Portugal da Submissão ao Euro!”; a continuação do contacto com trabalhadores e denúncia de situações de trabalho precário no quadro da acção “Mais direitos, mais futuro, não à precariedade!”

8 – A intensa actividade do PCP neste período abre importantes possibilidades de reforço orgânico, quer no plano do recrutamento de novos militantes ou na expansão da venda do Avante a militantes e simpatizantes do PCP, quer no alargamento dos visitantes da Festa do Avante! (muitos pela primeira vez), ou no plano da capacidade de recolha financeira.

 

Aveiro, 21 de Abril de 2017