Etiquetas

, , , , , , ,

Foi este o “pensamento” político que ocorreu a Aníbal Cavaco Silva, para esclarecer a sua posição sobre o roubo de metade do 13º mês a milhões de portugueses, roubo que, segundo as estimativas, renderá 800 milhões de euros que irão direitinhos para os bolsos de especuladores e banqueiros, sem terem criado um posto de trabalho, sem terem resolvido um único dos problemas com que nos defrontamos.

Desde a chegada ao poder do seu governo PSD/CDS, que as declarações do Presidente da República têm ido sempre no mesmo sentido: o da amorfa subserviência, da defesa da obediência cega aos ditames da troika, da capitulação, do colaboracionismo mais abjecto, do roubo de muitos para o usufruto de uns poucos. Tem misturado estes “conselhos” com (muito pouco) velados elogios e louvores ao novo executivo de Passos Coelho que, agora sim, tem condições para dar esperança ao povo…
Já se sabia que o cidadão Aníbal possui o minúsculo nível de vergonha na cara que lhe tem permitido acumular o ordenado de PR com os ganhos de trocas manhosas de propriedades no Algarve, lucros duvidosos com títulos de bancos arruinados, vendidos a preço de favor por criminosos que antes foram seus colaboradores, etc.
Resta agora saber se terá o descaramento de cobrar igualmente “cachet” por esta sua nova atividade, a de “subsecretário de estado da propaganda”.
in “Cantigueiro”