Etiquetas

, , , , , ,

Os resultados eleitorais confirmam um crescimento da CDU e a derrota da política de direita do Governo PS e da sua submissão ao pacto da Troika 

  1. Os resultados das eleições legislativas, apurados até este momento, indicam o crescimento da CDU a nível nacional, em votação e na eleição de mais um deputado. A nível distrital a CDU cresceu cerca de 5% da sua massa eleitoral, superando os 15700 votos e deu passos muito importantes na consolidação do seu eleitorado, particularmente entre os trabalhadores e outras camadas sociais vítimas das políticas de direita. A CDU foi a única força política à esquerda do PSD que melhorou o seu resultado eleitoral. Estas são as terceiras eleições legislativas consecutivas em que se verifica a consolidação e crescimento da CDU, a nível nacional e distrital, o que constitui um elemento de grande importância para o futuro.
  2. A CDU confirma-se, nestas eleições, como a força que, pela sua implantação social, intervenção, coerência e projecto, está em condições de abrir caminho a uma ruptura com as políticas de direita, prosseguidas há 35 anos, e continuar a luta contra o Pacto entre a troika estrangeira da agressão e a troika da submissão, do PS/PSD/CDS. A CDU emerge destas eleições como a força da ruptura e mudança, duma alternativa e duma política patriótica e de esquerda para o nosso país.
  3. O PS sofreu uma pesada derrota, apesar da vitimização, da mistificação e da bipolarização artificial da campanha eleitoral. A sua derrota dá a verdadeira dimensão do repúdio nacional pelas suas políticas, designadamente a política de concentração da riqueza dos OEs, dos PECs e do Pacto das troikas.
  4. O PSD sai destas eleições com um crescimento eleitoral significativo, resultado directo do descontentamento popular com o PS, e apesar das suas efectivas responsabilidade nas políticas de direita de todos estes anos e da sua absoluta identificação com o “programa comum” da Troika, que se vai abater sobre os trabalhadores e o povo, pondo em causa as suas condições de vida e a própria soberania nacional.
  5. Neste momento político, importa tornar claro que estes resultados não legitimam o pacto de agressão e submissão que querem impor ao nosso povo – o pacto é inconstitucional quanto ao seu conteúdo e antidemocrático quanto ao seu percurso e objectivos. O Pacto continuará a merecer a resistência e a luta do nosso povo, até à sua derrota, até que seja possível um outro rumo para Portugal.
  6. Este resultado da CDU foi construído, num quadro de grandes dificuldades, de silenciamento e deturpação das posições da CDU, num quadro de ocultação e mistificação dos media dominantes e de pensamento único, ditado pelo unanimismo da troika do PS/PSD/CDS. Este resultado foi construido com a intervenção e a luta dos activistas do PCP e do PEV e de tantos homens, mulheres e jovens sem partido, que integram esta coligação.
  7. A Comissão Coordenadora da CDU do Distrito de Aveiro saúda todos os seus candidatos e activistas, valorizando o seu empenho e participação na construção deste resultado eleitoral, e saúda todos aqueles que confiaram o seu voto a esta coligação, particularmente os cerca de 800 novos votantes. Podem confiar na CDU. Por uma política patriótica e de esquerda. A luta continua.

 

A Comissão Coordenadora Distrital da CDU

5 de Junho de 2011